Resenha | Reféns (2011)

Reféns

Reféns é um suspense de 2011 em que uma abastada família fica presa em sua casa, vítima de um roubo. É um filme que teve um orçamento relativamente grande, com US$35 milhões investidos para que o filme acontecesse.

Sobre Reféns

Kyle Miller (Nicolas Cage) é um negociante de diamantes que aparenta ser muito rico. Ele é casado com Sarah Miller (Nicole Kidman) e tem uma filha adolescente, Avery Miller (Liana Liberato). Ele tem uma grande casa e uma linda família, mas sempre está muito ocupado, indo e vindo, devido aos seus empreendimentos envolvendo os diamantes.

Numas das raras noites em que está em casa, ele e sua esposa são surpreendidos e feitos reféns numa tentativa de roubo. Mascarados invadem a casa, armados e dizem conhecer toda a rotina do rico negociante. Sabem que há um cofre no escritório dele, onde estão guardados diamantes e muito dinheiro.

Os Reféns

Inicia-se então uma sessão de tortura psicológica, agressões físicas e revelações sobre os ocupantes da casa e os bandidos. Os ânimos são elevados e as ameaças ficam cada vez mais sérias. As dúvidas sobre em quem confiar aumentam e criam um clima de tensão entre todos.

Outras informações sobre Reféns

  • Direção: o filme é dirigido por Joel Schumacher, que já está no mercado cinematográfico há algum tempo. Entre suas produções estão filmes como: Um Dia de Fúria, Os Garotos Perdidos e O Custo da Coragem. Sua carreira tem muitos filmes, mas nem todos com a mesma qualidade. E este é o caso de Reféns, que tem uma direção muito preguiçosa, resultando em um filme sem impacto;
  • Elenco: nomes como Nicolas Cage e Nicole Kidman atraem público para qualquer filme, ou pelo menos então despertam interesse. Em Reféns, nem eles se salvam, com uma atuação, no máximo, competente, mas sem brilho algum.

Os Reféns

  • Roteiro: outro ponto que não merecem atenção é o roteiro, escrito por Karl Gajdusek. Até hoje, somente Kingsman, que foi co-escrito por ele, merece ser ressaltado. Reféns traz um trabalho esquecível, com falas clichês e diálogos mal aproveitados.

Não há nenhum outro ponto a destacar no filme. A fotografia é razoável, mas bem voltada a uma produção direcionada a TV. A trilha sonora é completamente esquecível, carente de pelo menos uma canção ou tema marcante. Pode ser coincidência ou não, mas as produções em que Nicolas Cage atua são, no geral, medianas. E isso se repete aqui em Reféns.

Mas e vocês, já assistiram este filme? Deixe abaixo nos comentários o que acharam.

O post Resenha | Reféns (2011) apareceu primeiro em Entreter-se.

Author

Share